Evolução dos fármacos biotecnológicos versus inibidores das JAK: qual o estado da arte?

Evolução dos fármacos biotecnológicos versus inibidores das JAK: qual o estado da arte?

“iJAK vs biológicos no tratamento de doenças autoimunes” foi um dos hot topics abordados no segundo dia do Congresso de Medicina Interna, numa sessão moderada pelo Dr. Carlos Carneiro, especialista em Medicina Interna e coordenador da Consulta de Doenças Autoimunes do Grupo HPA Saúde. Em entrevista, o palestrante convidado, Dr. Fernando Salvador, diretor do Serviço de Medicina Interna do Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD), faz um resumo das principais mensagens a reter. Assista às declarações em vídeo.

Vídeo

Segundo o Dr. Fernando Salvador, o objetivo da sessão foi “falar da evolução dos fármacos biotecnológicos no tratamento das doenças autoimunes”, em comparação com os inibidores das Janus Associated Kinases (JAK).

Além da eficácia dos biológicos e da sua “excelente resposta clínica”, o especialista mencionou a vantagem dos inibidores das JAK, salientando, contudo, as alterações efetuadas pela Agência Europeia do Medicamento nos Resumos das Características dos Medicamentos (RCM) tendo em conta “algumas limitações” em determinados tipos de doentes, que exigem “algum cuidado na prescrição”. “Não sabemos até que ponto estas mesmas alterações e estes alertas se vão manter no futuro, mas temos que ter atenção”, sublinhou.

Perante este contexto, o Dr. Fernando Salvador realça o momento de “grande indefinição” e, por isso, na sua perspetiva, “só nos próximos teremos um maior posicionamento” para, no futuro, ser possível praticar uma Medicina mais personalizada: “para cada doente, um fármaco”.

sábado, 06 maio 2023 09:14
Atualidade